Entre espaços

Está chegando a hora…  Este é o último fim de semana desta visita ao Brasil. Não foi tanto tempo quanto eu gostaria, mas deu para matar parte da saudade que estava sentindo. Confesso que não fui ver coisas novas que surgiram na cidade. Minha preferência foi passar meu tempo com pessoas queridas e foi uma excelente decisão!
Pude rever pessoas que não tinha encontrado na minha última visita, ou seja, pessoas que não via há mais de quatro anos. É certo que o tempo passou e com sua passagem as coisas mudam. Ficamos mais velhos, colecionamos diferentes experiências, mudamos de profissão e até de estilo de vida. Um amigo muito querido de infância, por exemplo, deixou para trás a vida de DJ e agora enveredou pelo pagode.
Com a data da viagem de volta chegando, as pessoas já querem saber quando será a próxima visita. Outros querem saber quando será o retorno definitivo ao Brasil. São perguntas difíceis de responder. A gente faz planos, mas o futuro é na verdade sempre incerto… Quem pode afirmar com certeza o que vai se passar daqui a 5 minutos? Planos são tênues linhas que servem para nos guiar, mas os acontecimentos estão todos interligados, acarretando novas decisões e mudanças de rota.
Percebo que algumas pessoas têm dificuldade de compreender a decisão de morar num lugar distante. Acham impossível ser feliz longe de casa. Outros acham que este exílio voluntário significa um corte com as raízes… Cada pessoa é um indivíduo diferente, mas posso afirmar que isso não se aplica a mim.

Não cortei relações, não cortei raízes. Considero-me uma pessoa muito feliz, talvez porque aprendo todos os dias que a felicidade não está em nada nem em ninguém. Ela só é possível de ser encontrada dentro de nós mesmos. É estar em paz conosco e principalmente, estar ciente das nossas decisões. Qualquer decisão que seja tomada terá pontos positivos e pontos negativos. Cabe a cada um pesar esses pontos e ver o que é mais apropriado, o que dói menos, o que é mais fácil de lidar…

Bem, o próximo artigo deve ser escrito de Berlin, meio as folhas amareladas anunciando o outono. Agora vou ali dar um mergulho e curtir esse dia de sol lindo! Deixo vocês com parte de um filme antigo com o maravilhoso Michael Caine. Tem uma cena que simplesmente amo e que fala sobre como cada decisão, cada acontecimento pode mudar nossas vidas completamente…

6 Responses to “Entre espaços

  • Lu, ameiiiii o que você disse… mesmo sendo diferente de você eu acho que você esta certa. Desta forma tenho que trabalhar em mim isso, aprender que felicidade esta dentro de mim… nossa ADOREI isso.
    Boa viagem e as folhas caídas te esperam em Berlin, lugar MARA!!!
    beijos

  • Que legal que vc está no Brasil Lú !!Realmente essas visitas ao nosso país nos faz refletir sobre tantas coisas. Aproveite todos os momentos.
    Bjoss

  • Ana,
    isso é uma coisa que venho aprendendo através de Yoga (AMO!) e tento colocar na minha prática diária 😉
    As folhas caídas eu ainda não vi, mas que temperatura baixa é essa, menina?! Ainda estamos em setembro! Tô chocada rsrsrs
    Bjs

  • Pena que não foi muito tempo… Já estou de volta! Aproveitei tudo que pude no curto espaço da visita.
    Concordo plenamente com você: essas viagens de volta às origens põem a gente para pensar 😉
    Bjs

  • Oi Lu,
    Fiquei curiosa pra saber que lugar do Brasil você ficou?
    Você disse tudo!!! As vezes fazemos tantos planos, de repente dá uma reviravolta, e adaptações e escolhas tem que ser feitas. Gostei muito do seu ponto de vista 😉
    Beijos

  • Oi, Claudia!
    Eu fiquei só no Rio de Janeiro mesmo porque o tempo era curto. É a minha base, né? kkkk Espero que das próximas vezes eu tenha mais tempo para ir a outros lugares.
    Olha, vou citar duas coisas que li ontem num livro de Paramhansa Yogananda:
    "Aceite a mudança como a única constante da vida."
    "Vida é mudança."
    Beijo grande!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *