Alemanha na Bienal do Livro

Uma das coisas que me deixa feliz é estar junto dos livros, seja numa biblioteca, numa livraria ou numa feira do livro. Adoro! Estou tristinha porque não poderei ir à Bienal do Rio, que vai acontecer de 29 de agosto a 8 de setembro. Não que eu tenha ido em todas as edições anteriores do evento, mas este ano o país homenageado é a Alemanha e gostaria muito de ver pessoalmente o que vai ser apresentado na feira.

Quando ideias se encontram

A escolha da Alemanha como país homenageado faz parte dos eventos do ano Alemanha+Brasil. Editoras alemãs apresentarão uma variedade de atividades artísticas e literárias. O estande alemão vai abrigar a exposição ‘Alemanha de A a Z’: cada letra do alfabeto dá ao visitante uma visão divertida sobre o país.

Programação da Alemanha

Apresentações em conjunto de autores brasileiros e alemães, oficinas de quadrinhos, mesas-redondas, palestras e performances estão programadas para o estande alemão. Haverá atividades também para o  público especializado do ramo editorial e bibliotecários. A presença alemã se estenderá também ao Café Literário para um bate-papo entre autores e público.
Estande alemão na Bienal do Rio 2013

Mapa do estande alemão

A difícil escolha

É sempre assim: exatamente no mesmo horário tem coisas legais acontecendo em pavilhões diferentes e daí que não dá para se transformar em duas ou três, né? Querer ver tudo se torna quase impossível… Contudo, eu me arrisco no difícil trabalho de deixar aqui cinco dicas para quem for visitar o estande alemão.

  • Reinhard Kleist – ilustrador e autor de graphic novel – romances em forma de quadrinhos – ganhador de vários prêmios de ilustração e literatura. Além de oficinas e palestras, o autor estará lançando pela Editora 8INVERSO seu livro ‘O Boxeador’ (Der Boxer) que conta a história real do pugilista judeu Hertzko Haft.
  • Bas Böttcher – ele é o cara quando se fala em poetry slam em língua alemã! Suas apresentações performáticas são uma mistura de vídeo, música e malabarismo com as palavras. Foi ele quem desenvolveu o Textbox: uma cabine onde o poeta faz sua performance e o público ouve tudo através de fones de ouvido.
  • Wladmir Kaminer – como ele mesmo se denomina: um russo na vida privada, mas um escritor alemão profissionalmente. Kaminer começou escrevendo colunas para jornais e revistas alemãs. Ficou muito conhecido por sua atuação no Kaffee Burger, um clube de Berlin, como organizador da Russendisko (noite de música pop russa) e como participante do evento literário ‘Reformbühne Heim & Welt’. Com mais de uma dezena de livros publicados, a obra de Kaminer enfoca especialmente questões sobre imigração, diferenças culturais e adaptação.
  • Lançamento do livro ‘Cinco séculos de relações brasileiras e alemãs’ – organizado pelo Instituto Martius-Staden, o livro conta com matérias de 23 autores do âmbito cultural.  O livro será publicado pela Editora Brasileira e será uma edição bilíngue.
  • Lançamento do livro ‘A rosa branca’, de Inge Scholl – A Editora 34 está lançando a tradução inédita no Brasil do livro que conta sobre o movimento de resistência originado em München contra o nacional-socialismo.

Para saber sobre dia e horário, bem como outros eventos, consulte a programação clicando aqui.

Stadtschreiber

Além da presença alemã na Bienal do Livro, seis autores alemães foram convidados pelo Instituto Goethe para passarem quatro semanas no Brasil. Os escritores ficarão em diferentes cidades – entre elas, São Paulo, Fortaleza e Porto Alegre –  onde poderão pesquisar e trabalhar nas suas obras. Existe ainda um blog – Stadtschreiber in Brasilien – no qual os autores escreverão sobre suas experiências durante o projeto.

Bem, só posso desejar uma excelente visita a quem for à feira. Curtam por mim!

6 Responses to “Alemanha na Bienal do Livro

  • Menina, como você é bem informada Lu…
    Passei aqui para te dar um beijo e desejar boa semana!

  • Rsrsrs
    Uma boa semana pra você também, Ana!

  • Que legal esse evento! Mais que merecido a Alemanha ser homenageada, esse país aqui tem cheiro de páginas de livro novo. Nunca vi um povo que gosta mais de ler que os alemães e isso super me inspira.
    Ótimo post!
    beijos e boa semana!
    Lu, você andou sumidinha e fiquei com saudade dos seus posts! 🙂

  • É verdade, Ana. Aqui só não lê quem não quer 🙂 Eu adoro!
    Obrigado pelas palavras de carinho. Eu fiquei sumidinha mesmo por motivos técnicos… Perdi tanta coisa que ainda estou contabilizando o tamanho da perda 🙁 Mas bola frente, né?
    Beijo grande e boa semana pra você também!

  • Lu,
    hoje fiz o post sobre Berlin, o passeio que fiz com meus pais… Vá com outro olhar viu, pois quem conhece Berlin e sabe contar histórias super bem é você!!!
    beijosss

  • Oba!
    Imagina, Ana… cada experiência é única. Acho muito interessante – e importante também – saber como é a reação das outras pessoas 😉
    Vou passar lá!
    Beijo grande!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *