Dominik e Frederik

Não é uma dupla sertaneja, nem dois DJs famosos. Também não se trata de dois astros lindos do cinema alemão. Seria melhor… Na verdade, Dominik e Frederik foram os nomes dados a duas massas de ar que se encontraram no leste europeu.

Os dois ‘rapazes’ ficaram estacionados na mesma área por uma semana inteira. Eles aumentaram a umidade do ar e trouxeram muita chuva para a região leste e sul da Alemanha. A enorme concentração de chuvas e o derretimento da neve, que aconteceu mais tarde do que esperado, foi uma combinação perfeita para os alagamentos de grandes proporções pelos quais a Alemanha passa no momento.

Elbe, Donau e Saale

O rio Elbe (Elba) nasce na República Tcheca, vai cortando a Alemanha até desaguar no Mar do Norte. Ele passa por cidades como Dresden, Dessau, Magdeburg, Hamburg e desagua no Mar do Norte. O rio Saale nasce em Bayern e desemboca no rio Elbe, em Sachsen-Anhalt. O rio Donau (Danúbio) nasce na Floresta Negra e corta o sul da Alemanha, passando por Regensburg, Ingolstadt, Passau, entre outras cidades, e vai desaguar lá no Mar Negro. 
 
Ou seja, esses três rios estão justamente na área onde Dominik e Frederik entraram em ação. Sem esquecer que os afluentes desses rios e toda a complexa e fascinante ligação das águas sentem os resultados do que acontece nos rios principais.

Como uma onda

Que altura máxima que o nível de um rio pode atingir é difícil de prever porque vários fatores influenciam. O certo é que em algum momento o nível desce e a água encontra seu caminho. A grande massa de água vai deslocando-se em direção ao ponto de desaguamento.

Situação menos preocupante

Alagamento em Zwickau

Zwickau inundada (via Hochwasser Zwickau)

Em Bayern e em Sachsen, o nível dos rios já começou a descer, trazendo um pouco de alívio. Porém, o problema desloca-se agora para a direção norte. Situação muito complicada encontra-se Magdeburg, em Sachsen-Anhalt, onde as águas do Elbe devem ultrapassar o nível registrado na tragédia em 2002, chegando a 7,40 metros de altura. Normalmente, o nível não ultrapassa os 2 metros, então já dá para ver o tamanho do estrago.

Perdas

Os estragos são incontáveis. Além da perda material, infelizmente algumas pessoas também perderam suas vidas. O governo talvez tenha que investir tanto quanto na tragédia de 2002 para recuperar as cidades atingidas. Órgãos oficiais e muitos voluntários estão ajudando na tentativa de minimizar o problema e salvar o que for possível.
 
Perda é perda, seja no Brasil, na Alemanha ou em qualquer lugar do mundo. É muito triste ver as pessoas perdendo suas casas, suas lembranças e até suas vidas. Para os leitores que moram ou que tem familiares, parentes e amigos na Alemanha, desejo de coração que estejam todos seguros. 

4 Responses to “Dominik e Frederik

  • ë Lu, muito triste sim…
    Dresden foi a que se saiu melhor, com menos estragos.
    Boa explicação, eu mesma não sabia de detalhes assim…
    beijàoo

  • Lu,
    é realmente muito triste essa situação. Você está certa ao dizer, perda é perda, em qualquer lugar do mundo. Eu estou acompanhando pela tv, eu fico muito comovida em ver as pessoas dando depoimentos de como perderam tudo, é de cortar o coração…só resta torcer pelo bem de todos!
    bj

  • Pois é, tem gente que viveu esse drama há pouco mais de 10 anos na inundação de 2002 e está revivendo agora.
    Li uma coisa na mídia inglesa que me assustou um pouco, mas não sei se é verdade ou sensacionalismo. Além da questão do clima, estão investigando se as ameaças recebidas de destruição de diques e barragens foram realizadas! Não tenho nem palavras…
    Bjs

  • Gostaria que todas as cidades tivessem tido a sorte de Dresden, Ana… Por outro lado, fico feliz de saber que essa enchente estragou a cidade menos que a de 2002.
    Parece que as águas começam lentamente a descer em pontos muito críticos como Magdeburg, por exemplo.
    Espero que estejam bem aí 🙂
    Bjs

Deixe uma resposta para Lu Lou Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *