Glücksbringer

E começamos mais um ano! Como é costume desejar um bom ano novo ainda nos primeiros dias do ano, aproveito para dizer: ‘Frohes neues Jahr und viel Glück!’ 

Em alemão, a palavra ‘Glück’ pode significar tanto sorte quanto felicidade. Definir o que é sorte ou felicidade é difícil, uma vez que estão intimamente ligadas ao julgamento e percepção de cada um. Porém, falar sobre símbolos de sorte é mais fácil.

Aquilo que traz sorte é chamado de ‘Glücksbringer’. No meio de milhares de coisas que acreditavam trazer sorte, seis delas ficaram marcadas na Alemanha e não se perderam totalmente com o tempo.

Antes de conhecê-las, devo alertar que não será um artigo esotérico, nem trará receitas para atrair sorte e muito menos tentará convencer alguém a mudar suas crenças. Há quem se preocupe apenas com declinações, verbos irregulares e uso de preposições, o que sem dúvida alguma é importante. Contudo, conhecer um pouco das crenças, da mitologia e da História ajudam a compreender o uso de palavras e expressões ancoradas numa língua.

Schwein

Foi falado aqui sobre o costume de comer carne de porco no Ano Novo na Alemanha. Na verdade, o porco é um grande símbolo de sorte em qualquer época do ano.

Além de simbolizar fertilidade e força, o porco tinha grande valor para os povos germânicos, os gregos e romanos. Quem possuía muitos porcos sinalizava que tinha uma vida confortável e rica. Lembrando que riqueza em outras épocas era, principalmente, ter fartura na mesa. Com certeza, comida era o que não faltava ao dono de vários porcos, que podia alimentar com tranquilidade sua família.

Schornsteinfeger

Confesso que achei estranho logo que cheguei aqui e soube que o limpador de chaminé era símbolo da sorte. Imagine um homem todo vestido de preto, com uma cartola da cabeça, a pele toda suja de fuligem e que ainda se aperta por um caminho escuro. O que poderia trazer sorte aí?
Glücksbringer

Coisas que atraem a sorte

Bem, não se sabe exatamente quando, mas o fato é que a imagem do limpador de chaminé mudou com o passar do tempo.
Em países como Itália, Bélgica e Inglaterra, o limpador de chaminé não pertencia a nenhuma corporação de ofício com regras estabelecidas. Portanto, era comum utilizar crianças para fazerem o serviço de limpeza. A estatura pequena e a flexibilidade do corpinho era ideal para subir pelo espaço apertado da chaminé. Pasmem, mas o senso comum considerava seis anos uma idade boa para iniciar no ofício. Algumas crianças ficavam presas e não conseguiam ser resgatadas, morrendo sufocadas lá dentro. Isso era razão suficiente para colocar medo nas crianças, não acha? É fácil imaginar que ver um limpador de chaminé não fosse agradável. Consta que na Alemanha, o ofício tinha uma corporação, evitando que crianças fossem utilizadas para esse trabalho.
Por outro lado, uma chaminé entupida era o máximo do azar! Não era possível cozinhar ou aquecer. Não raro aconteciam incêndios devido ao excesso de fuligem associado às altas temperaturas. Quem podia resolver esse problema? O limpador de chaminé! Uma chaminé limpinha passou a ser sinônimo de sorte: comida e aquecimento assegurados sem risco de incêndio.
Assim a imagem do limpador de chaminé tornou-se positiva. Vê-lo ou tocá-lo é sempre sinal de sorte. Por isso, nos cartões de fim de ano, nos buquês de flores ou modelados em marzipã eles aparecem para trazer sorte para o ano que inicia.

Marienkäfer

Marienkäfer

Joaninha-de-sete-pontos | ©Hedwig Storch

Acho a joaninha muito simpática! Apesar de pequenina, ela exerce uma função importante, pois come piolhos e pulgões das plantas. Logo, os camponeses acreditavam que o inseto era um presente divino.
A espécie com sete pontinhos, comum na Europa, é protegida da Virgem Maria e esse é o motivo do seu nome, que traduzido ao pé da letra seria ‘besouro de Maria’. O número de pontinhos eram vistos como as sete virtudes atribuídas à Virgem Maria.
Mesmo antes do Cristianismo chegar à Europa, a joaninha já era associada à sorte, ao divino, à fertilidade e também ao amor. Quando ela pousa em alguém é sempre um bom sinal.

Klee

Assim como a joaninha, mesmo antes da cristianização da Europa, o trevo já era considerado um símbolo de sorte. Com o Cristianismo, espalhou-se a lenda, na qual Eva teria carregado um trevo de quatro folhas como lembrança ao ser expulsa do Paraíso.
Como trevos de quatro folhas são raros, encontrá-los é sinal de sorte. Dizem que não se deve procurar por ele. Outra crença é que aqueles que encontram trevos de quatro folhas com muita facilidade acabam sendo castigados.

Hufeisen

Encontrar por acaso uma ferradura traz sorte. Ela transmite à pessoa que a encontrou a força do cavalo, animal sagrado na mitologia germânica.
Não se sabe ao certo a origem dessa crença espalhada por quase todo o mundo, mas pendurar um a ferradura na porta de entrada teria o poder mágico de proteger contra catástrofes, doenças, incêndios e espíritos maus.
Acredita-se que a direção da abertura também influencie a sorte. Há várias versões. Com a abertura para a direita, lembra a letra ‘C’ de Cristo. Com a abertura para cima funciona como um jarro receptor da sorte que paira pelo ar. Com a abertura para baixo, a sorte pode ‘cair’, porém essa posição é a melhor para prender os espíritos ruins.

Fliegenpilz

Sabe aquele cogumelo vermelho de pontinhos brancos? Então, ele também é símbolo da sorte.
O caráter venenoso e alucinatório do cogumelo era conhecido em várias partes do mundo. Seu consumo permitiria a comunicação com os deuses, aumentando a sensação de euforia. Outra crença é que o cogumelo daria o poder de voar ao homem.

Os povos germânicos acreditavam que onde a baba do cavalo de Wotan caísse sobre a Terra, ali também cresceriam cogumelos. Sendo assim, quem consumisse cogumelos teria força, agressividade e êxtase aumentados.

Esses são os seis símbolos da sorte mais conhecidos e divulgados na Alemanha. O trevo e a ferradura, por exemplo, são bastante difundidos também no Brasil. Tem algum que você tenha achado estranho?

2 Responses to “Glücksbringer

  • Achei estranho só o cogumelo, não sabia mesmo que ele poderia ser considerado como símbolo da sorte. Sempre gostei das joaninhas, são muito bonitinhas e já que são associadas à sorte, então melhor ainda! Um excelente 2013! Bjs!

  • Cogumelo, Hannah?
    Sei lá, por causa dos cogumelos que vemos desenhados, sempre vermelhos com pintinhas brancas, eu os achava simpáticos e alegres. Então não foi estranho pra mim aceitá-los como símbolo da sorte 🙂
    Bjs,
    Lu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *