Técnica da cebola

a cebola e as cascas em camadas

Faça como a cebola: vista-se em camadas no inverno

Sempre há locais onde o inverno chega primeiro, trazendo frio e neve logo no início de novembro, enquanto em outras regiões ainda não caiu nem um floquinho.
 
Tem aquela semana, porém, que o frio dá as caras no país inteiro. Assim foi este fim de semana na Alemanha: com temperaturas abaixo de zero e muita neve, causando acidentes e mortes.
Como não dá para hibernar e só acordar na primavera, é fundamental vestir-se adequadamente. Sentir frio não é bom e, em casos extremos, é arriscado e coloca a vida em perigo.

Friiiiio!

Antes de falar sobre a roupa, há quatro fatores que podem aumentar a sensação de frio, independente da quantidade e qualidade das roupas que você esteja usando:
– cansaço/sono
– fome
– mal-estar
– idade (crianças pequenas e idosos, especialmente os que estão abaixo do peso ideal)

Andar por aí de estômago vazio é uma péssima idéia e se não está se sentindo bem, veja a possibilidade de ficar em casa. É melhor perder um dia do que forçar a barra e depois perder uma semana de cama. No caso das crianças e idosos, a solução é agasalhar-se mais.

Es gibt kein schlechtes Wetter, nur falsche Kleidung!¹

Meu primeiro inverno na Alemanha talvez tenha sido o pior. Saí de um verão escaldante e desci do avião numa cidade coberta de neve com os termômetros marcando 6ºC negativos. Além da diferença brutal de temperatura, não dá para esquecer da importância do costume (sim, ele existe!). 
Ficava irritada quando as pessoas diziam que estava com as roupas erradas. Como assim?! Tinha vindo com minha mala lotada de roupas de inverno; vim preparada, poxa! Só que não. A maioria das roupas compradas no Brasil não são adequadas para o inverno europeu. Um bom exemplo, foi minha bota de cano alto (que eu achava o máximo!), mas não tinha solado de borracha. Providenciei uma palmilha de lã natural que foi ótima, mas não resolvia o problema dos escorregões. Com aquela sola praticamente lisa, não havia outro jeito a não ser ‘patinar’ pelas ruas.
Entrando em meu 11º inverno na Alemanha, já não estou mais tão sensível ao frio como antes e tenho que concordar que a roupa faz sim a diferença. Já peguei inverno que a temperatura bateu até 16ºC negativos pleno meio-dia e isso não foi motivo de desespero. A salvação foi a técnica da cebola.

Como uma cebola

Um erro comum é achar que na técnica da cebola basta ir colocando uma roupa por cima da outra. Não é a quantidade que vai esquentar, mas o material, a ordem das camadas e o espaço entre elas. Quem já esteve aqui, deve ter visto que as janelas tem duas ou até três camadas de vidro. É o ar acumulado entre os vidros que funciona como uma barreira para o frio. As diferentes camadas e materiais das roupas garantem um ‘aquecimento’ melhor do corpo.
 
A primeira camada, logo acima das roupas íntimas, deve ser leve e ficar bem junto ao corpo. Para mim é fundamental usar uma camiseta ou top longo que possa colocar por dentro da saia ou da calça. Daí não há o risco da blusa subir e entrar aquele ventinho pelas costas ou pela barriga, arrepiando a pele. Tem gente que investe em camiseta e meia-calça/legging térmicas e gosta muito. Confesso que uso o normal mesmo. 
 
A segunda camada deve reter o calor do corpo. Pode ser uma blusa ou camisa de gola alta, por exemplo, ou uma camiseta de malha com um casaco de trico que feche até o pescoço. As fibras naturais esquentam de forma mais eficiente que as fibras sintéticas. Se não puder investir, tente pelo menos comprar roupas com uma maior porcentagem de fibras naturais. Como cada um sente frio de forma diferente, essa segunda camada pode receber o reforço de um colete, um blazer ou um casaco de fleece ao invés de trico.
 
A terceira camada deve proteger do vento, da neve e da água. O ideal é uma jaqueta impermeável. Aqui vale muito investir em jaquetas com enchimento de penas. Elas são mais leves, esquentam e protegem de verdade, e não deixam a pessoa com cara de boneco inflável.

Cabeça, mãos e pés

As extremidades costumam perder calor mais rapidamente. Na cabeça pode ser gorro, chapéu, boné ou faixa. Vai depender da necessidade de cada um. Gosto muito de gorro longo porque protejo a cabeça e os ouvidos. Não abro mão do cachecol. Além de proteger a garganta que sempre me causa problemas, ainda dá para puxá-lo um pouco para cima e cobrir o nariz e os lábios caso seja necessário.
 
Use luvas, mesmo que você ache que não esquentam nada, pois elas protegem do ressecamento causado pelo vento. Para os pés vale palmilha impermeável, meias térmicas (sim, nelas eu invisto!) e qualquer outra coisa que mantenha os pés quentes e secos. Nem preciso lembrar da importância de um bom par de sapatos ou de botas, né? Os pés ficam em contato permanente com a neve e a umidade. Se eles esfriarem pode esquecer de toda a técnica da cebola porque vai ser muito incômodo e você vai sentir frio.

Outras coisas a evitar

– Nada de sapato apertado. Dedos que não se mexem direito dentro do sapato congelam mais rápido.
– Optar por uma só camada de roupa e jogar um casaco pesadão por cima. Lembra do que foi falado acima sobre as janelas? Então, é por aí com as roupas.
– Ficar com todas as roupas dentro de teatros, restaurantes e lugares fechados. Se você está vestido com a técnica da cebola é fácil adaptar sua temperatura ao ambiente. Além disso, se você fica com tudo, na hora que sair novamente para rua provavelmente vai sentir mais frio ainda.
– Achar que todos os lugares estarão aquecidos corretamente. Infelizmente não é bem assim. Sempre tem uma janela mal isolada, um aquecedor mal ajustado ou alguém com uma sensacão de frio/calor muito diferente da sua. Mais uma vez, a técnica da cebola pode resolver esses problemas.
 
Mesmo que o inverno não seja sua estação preferida, passar por ele protegida e saudável é importante. Quem sabe você não tem até mais ânimo para descobrir coisas legais dessa época mais fria do ano?
 
Você já pegou temperaturas abaixo de zero? Como fez para se manter aquecida?
 
¹Não há tempo ruim, apenas roupa errada

15 Responses to “Técnica da cebola

  • Lu,que post óteeeemo! Eu também me visto sempre utilizando a técnica da cebola! E pra mim a beleza do visual é o de menos, quero mesmo é não passar frio. Esse final de semana, na cidade dos pais do meu namorado, estava fazendo -15 a noitinha! Bom demais pra ficar em casa pertinho do aquecedor!!!
    Beijinhos

  • Obrigada, Ana!
    Menina, você foi no ponto certo! O principal é proteger-se do frio, depois a gente pensa na beleza 😉
    Pra mim o pior não é a temperatura e sim a sensação térmica que sempre fica entre 4 e 6 graus a menos do que mostra o termômetro. A previsão é de bater –10ºC durante o dia no meio da semana, então já viu onde vai parar a sensação térmica, né?
    Bjs,
    Lu

  • Lu, amei demais seu post!
    Acho que se eu tivesse toda essa sabedoria uns anos atrás, eu teria evitado muito frio na Alemanha, viu?! rs Eu não tinha legging normal e nem térmica, me acostumei a me virar com meia-calça, acredita? kk Usava umas 3 por baixo do jeans… mais do que Au Pair, eu era "au poor" então já viu né…kk
    E concordo 100% com Ana Paulaner…beleza é oq menos importa!
    Eu peguei 20 negativos em Berlin no ano novo de 2010…tenso!

    Beijoos!
    PS: obrigada pelo comentário, Frohe Weihnachten pra vc tb 🙂

  • "Com aquela sola praticamente lisa, não havia outro jeito a não ser 'patinar' pelas ruas." Estou aqui imaginando a cena… 😛
    Esses dias mesmo estava pensando com seria se eu estivesse aí. Odeio calor, amo frio, mas quando é muito não é legal, como é na Alemanha. Mas, quando eu tiver a oportunidade de conhecer esse país maravilhoso, já sei como me vestir. Sei também que não compensa levar uma bota, haha
    AMEI o post! Muito muito muito útil!

  • Obrigada, Nati 🙂
    Aqui vai meia-calça normal tb. Agora, 3??? Já tentei colocar 2 e me incomodou demais, mas frio na perna eu até aturo 😉 Prefiro dar mais atenção aos pés.
    Olha que Berlin não é dos locais mais frios, mas aqui bate aquele vento polar diretamente da Sibéria… como você disse: "é tenso!"
    Bjs,
    Lu

  • Tati, nem queira imaginar a cena: é uma mistura de comédia pastelão, tragédia e drama 😛
    Nada em excesso é muito legal, né? Neve e gelo demais afetem principalmente os transportes, provocando congestionamentos, acidentes e muitos atrasos.
    Espero que a oportunidade chegue logo. Já sabe, deixe pra comprar a bota aqui 😉
    Bjs,
    Lu

  • Oi Lu!
    Esse post é fantástico pra mim, que estou chegando "nas zoropa" em 1 mês. Ia comprar roupa aqui no Chile, mas desisti… nem aqui tem roupa tao quentinha e adequada a neve.
    Fiquei vidrada na "legging térmica" que a Natália comentou… será que acho fácil na Suíca?
    bjao

  • Chris, que decepção… achei que no Chile teria mais roupas adequadas para o inverno :-/
    Roupas térmicas eu encontro aqui com facilidade, em diferentes níveis de qualidade e preço. Então acredito que o mesmo seja na Suíça. Venha protegida da melhor forma possível com o que vc já tem e deixe para comprar o que precisar na Suíça. Acho mais válido…
    Só mais um mês? Passa num piscar de olhos 🙂
    Bjs,
    Lu

  • Eu rid demais da técnica da cebola… engraçado Lu que sempre brinco com a Valentina na hora de vesti-la (pois é um sufoco)… falo assim: "vamos cebolinha, ficar gordinha"!!!
    adorei este post!
    beijos

  • Gostei do versinho pra Valentina, Ana! É não é que a gente vai ficando 'gordinha' mesmo com as camadas de roupa? Outro dia vi umas fotos do primeiro inverno… Eu estava tão acolchoada que parecia que tinha um air-bag em volta do corpo kkk Horror!
    Bjs,
    Lu

  • Passei por muito do que vc descreveu Lu… nos pés especialmente! Ficar no ponto esperando o bus e sentir os pés congelarem.. estava com meias certas, mas a bota não ajudava. Hoje já não acontece. Sobre as roupas também aprendi tremendo de frio..hehe. Uma vez sai e esqueci a touca. Foi suficiente para eu sentir frio no corpo todo, mesmo estando agasalhada.

    Esse ano espero tomar coragem de me aventurar esquiando, não sei se levo jeito… ainda prefiro patinar. Bjs

  • É tremendo de frio que a gente aprende, né Dani? 😉 Sentir os pés congelando é uma sensação muito ruim!
    Sou uma pata patinando, então até hoje não me aventurei esquiar… Acho que só toparia se tivesse um esqui-bunda kkk era menos provável de voltar quebrada pra casa. Depois quero saber como foi a ventura no esqui.
    Bjs,
    Lu

  • Ai Lu esta do air-bag foi otima!!!!
    estou já indo ao Brasil na terca… fiz meu ultimo post deste ano e deixei lá votos para vcs…
    beijosss flor!!! e obrigada por tudo…

  • Siim, eu cheguei a usar 3 kk uma fio 80 e outras 2 dessas normais. rs Outra coisa que eu usava, nesses dias que tá cheio de neve mas o sol dá as caras, era o óculos escuro! Muita claridade irradiando de todos os lados! rs E bem lembrado, os pés..uma vez achei que eles fossem congelar! Corri e comprei palmilhas..nunca mais nem tirei da bota kk

    Beijo

  • Quando faz muito sol com neve aí só mesmo óculos escuros 😉 Em algumas situações, como o pessoal que via esquiar, é recomendável usar até mesmo portetor solar por causa do reflexo da luz na neve.

    Nati, 3 meias??? Eu não aguento… Incomodo é maior que o calor que elas proporcionam

    Bjs,
    Lu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *