Virtual depois da morte

O código QR, esse quadradinho em preto e branco aí do lado, está presente em outdoors, folhetos, no plano de horário do transporte público e muitos outros locais.

QR-Code

Faça um scan e veja a mensagem

Para desvendar o que está escrito, basta utilizar a câmera do telefone como scanner para captar a imagem, o leitor (que deve estar instalado no telefone) decodifica e pronto: lá está a informação. O código QR pode ser usado pra tanta coisa que eu diria que o limite é sua imaginação.

E tem gente que já deu uma nova utilidade ao código QR. O quadradinho cheio de pixels está sendo usado nas lápides. Escrever o nome, data de nascimento e morte já está virando coisa do passado.

Com o uso do código QR é possível fazer um link para um livro de condolências virtual, uma página com informações ou fotos da pessoa falecida, por exemplo.

A primeira tentativa de utilizar a nova tecnologia até na hora da morte já foi há mais de 10 anos. Em 1999,  uma família sueca colocou na lápide da mãe o endereço de uma página na Internet com suas receitas, dicas e truques para a casa, fotos e lista do seus livros prediletos. As primeiras lápides com código QR integrado de que se tem notícia surgiram no Japão em 2008.

Depois foi se espalhando por outros cantos do mundo. Em geral, o código é gravado numa plaquinha de aço inoxidável, vidro ou acrílico que é então, colado na lápide. Em 2011, Andreas Rosenkranz, escultor de cidade de Köln (Colônia), na Alemanha decidiu inovar e teve a idéia de esculpir o código direto na pedra que compõe a lápide. É um trabalho e tanto! Veja um pouco do seu trabalho aqui.

Este ano ele trouxe mais uma novidade ao mercado: o código QR integrado na lápide em forma de cruz.

O que você achou dessa idéia? Você colocaria um código QR na lápide de algum falecido?

4 Responses to “Virtual depois da morte

  • Cruzes!!!!
    Se vc nao tivesse citado tantos nomes eu diria que vc estava de sacanagem.

    Nao quero QR na lapide de ninguem nao, quero guarda-los em meu coracao. Mas como todo no mundo muda (e eu tb) vou salvar o meu QR do blog, por via das duvidas. Ha

    Beijo!!

  • kkkkkk! Essa foi boa, Liza! Achou que eu tava de sacanagem, né?
    O código em si não fede nem cheira pra mim. O que acho esquisito é ficar compartilhando receitas, fotos, listas de livros e outras coisas com uma pessoa que já faleceu.
    Eu quero compartilhar em vida! Curtir depois de morta? Sei lá, é meio sem sentido, né?
    Bjs,
    Lu

  • Que estranho!!!

  • É a morte nos tempos de hoje, Natália! rsrsrs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *